Bem vindo ao Site Brasileiros Muçulmanos - Últimos Artigos: Empenho pela orientação de Deus - Posturas da oração islâmica encontradas na Bíblia - Oved ben Aharon, ex-judeu, EUA (parte 2 de 4) - Oved ben Aharon, ex-judeu, EUA (parte 1 de 4) - Imprecisão bíblica e João 3:16 (parte 5 de 5) - Cada vez mais a ciência argumenta a favor de Deus - Dez razões para se empolgar com os manuscritos do Mar Morto - Nosso pequeno lugar na criação de Deus - O conselho de Lucman a seu filho (parte 2 de 2) - O conselho de Lucman a seu filho (parte 1 de 2) - Imprecisão bíblica e João 3:16 (parte 4 de 5) - Imprecisão bíblica e João 3:16 (parte 3 de 5) - Livro: Fiqh Al Sunnah (Parte IX) - A Peregrinação - Imprecisão bíblica e João 3:16 (parte 2 de 5) - Imprecisão bíblica e João 3:16 (parte 1 de 5) -
Este site tem por objetivo divulgar o Islam, seguindo a Ahlus Sunnah wal Jama'a (Seguidores da Sunnah e a Comunidade), o Islam em sua mais pura forma, o Islam que foi ensinado pelo nosso querido Profeta Muhammad (s.a.w.s) e seguido pelos seus Nobres Companheiros (Sahaba).
A paciência do profeta ao transmitir a mensagem (parte 2 de 2)
  Clique aqui para retornar às Categorias de Artigos

ProphetsPatience_02.jpgPor Aisha Stacey (© 2017 IslamReligion.com)

 

Essa é uma continuação de nossa história sobre a paciência do profeta Muhammad em face de adversidade.  Paramos com o rabino Zaid de fé diante do olhar malevolente de Umar.  O rabino se afastou e o profeta disse para Umar: "...você devia nos dar um conselho sincero, ao invés de agir como agiu! Vá e pague a ele o empréstimo concedido e dê a ele vinte Sa’a (uma medida de peso) extra, porque você o assustou!"

O profeta Muhammad era paciente com todos, seus companheiros próximos, conhecidos como o rabino e até mesmo com estranhos.  Estava sugerindo que seria melhor para Umar ser paciente e dar conselho sincero como sugerir uma solução que deixasse a todos satisfeitos, ao invés de perder sua paciência. Ao ponderar sobre essa história pode-se pensar por que o rabino estava cobrando o pagamento dias antes da data devida.  Os homens estavam reunidos após o funeral de um dos residentes de Medina.  Talvez o rabino tenha aproveitado a oportunidade de pedir seu empréstimos; talvez fosse um homem impaciente que queria se assegurar de que o empréstimo seria pago na data certa.  Os seres humanos têm diversas maneiras de lidar entre si, mas seguir o exemplo do profeta Muhammad é sempre a melhor maneira, algo que fica claro quando continuamos a história.

O rabino Zaid diz: "Umar veio até mim, pagou a dívida e me deu vinte Sa’a extras em tâmaras. Perguntei a ele por que e ele respondeu: "O mensageiro de Deus me ordenou porque eu o assustei." Zaid percebeu então que Umar não tinha ideia de quem ele era e perguntou se ele sabia. Umar respondeu que não fazia ideia. Zaid olhou para Umar e disse: "Sou Zaid ibn Sanah, o rabino." Umar ficou admirado e perguntou a Zaid por que havia se comportado daquela maneira com o profeta? Zaid explicou que tinha visto muitos sinais de profecia em Muhammad, exceto dois, e queria testar os dois sinais finais. Eram que paciência e perseverança teriam precedência sobre a raiva e o tratamento duro seria retribuído com gentileza. Foi exatamente isso que o rabino Zaid tinha observado.

O profeta Muhammad não só era paciente ao transmitir sua mensagem, mas foi sua paciência que convenceu as pessoas que sua religião era verdadeira.  Nesse caso o rabino Zaid renunciou imediatamente à sua religião e diante do profeta Muhammad testemunhou que não havia ninguém merecedor de adoração, exceto Deus e que profeta Muhammad era Seu mensageiro.[1]

O profeta Muhammad não mostrou essa paciência ao transmitir a mensagem porque achava que facilitaria sua vida. Fez porque foi ordenado por Deus a fazê-lo.  Em muitos casos não facilitou a vida dele.   O tio do profeta, o homem conhecido como Abu Lahab e sua esposa, eram grandes inimigos do Islã e do profeta Muhammad.  Todos os dias jogavam pedras e terra na casa dele e encorajavam outros a fazê-lo.  Muitos jogavam pedras não só na casa dele, mas nele próprio.  As injúrias não eram incomuns.  Espalhavam espinhos no chão de maneira que o profeta Muhammad não pudesse evitá-los e em muitos dias os pés do profeta sangravam após extrair os espinhos.  Como ele reagiu? Com paciência, tolerância e perdão.

Para enfatizar a importância de se comportar de maneira calma e gentil, Deus faz menção a isso várias vezes no Alcorão.  Deus diz: seja paciente, perdoe-os e reprima sua raiva.

"Que fazem caridade, tanto na prosperidade, como na adversidade; que reprimem a cólera; que indultam o próximo. Sabei que Deus aprecia os benfeitores. " (Alcorão 3:134)

"...porém, se perseverardes pacientemente e temerdes a Deus, sabei que isso é um fator determinante, em todos os assuntos." (Alcorão 3:186)

"Muitos dos adeptos do Livro, por inveja, desejariam fazer-vos voltar à incredulidade, depois de terdes acreditado, apesar de lhes ter sido evidenciada a verdade. Tolerai e perdoai..." (Alcorão 2:109)

O profeta Muhammad suportou pacientemente a perseguição e abuso que sofreu ao chamar as pessoas para a verdade do Islã.  Os idólatras, os pagãos e os hipócritas debochavam dele, o insultavam, não acreditaram nele e abusaram dele.  Foi chamado de mentiroso e mágico, vidente e louco, mas isso não o impediu de transmitir sua mensagem.  Deus havia avisado o profeta Muhammad de que muitos o ignorariam, abusariam e não acreditariam nele.

"Sê perseverante, porque a promessa de Deus é inexorável. Que não te abatem aqueles que não creem (na tua firmeza)." (Alcorão 30:60)

Ao transmitir a mensagem o profeta Muhammad nunca perdeu sua paciência ou se comportou de maneira violenta.  Nunca elevou sua voz ou olhou para eles com desdém.  Se se engajava em um debate ou argumento, o fazia de maneira calma e inteligente.

"Convoca (os humanos) à senda do teu Senhor com sabedoria e uma bela exortação e dialoga com eles de maneira benevolente." (Alcorão 16:125)

"E não disputeis com os adeptos do Livro (judeus e cristãos), senão da melhor forma, exceto com os iníquos, dentre eles. Dizei-lhes: Cremos no que nos foi revelado, assim como no que vos foi revelado antes; nosso Deus e o vosso são Um e a Ele nos submetemos." (Alcorão 29:46)

Quando o profeta Muhammad falava aos seus companheiros sobre transmitir a mensagem, sempre se preocupava com o comportamento deles.   Ao enviar companheiros aos judeus e cristãos no Iêmen, aconselhou-os: "Facilitem e não sejam duros. Deem as boas novas e não afastem as pessoas."[2] Além disso, Deus proibiu qualquer um de iniciar insultos ou responder a palavras ríspidas sobre a mensagem com insultos.

"Não injurieis o que invocam, em vez de Deus, a menos que eles, em sua ignorância, injuriem iniquamente Deus." (Alcorão 6:108)

O profeta Muhammad e os que transmitem a mensagem são ordenados por Deus a não se comportarem mal, independente da provocação.  Deus diz para não insultar, não responder e, além disso, nos é dito que nos afastemos dos ignorantes.  O profeta Muhammad fez exatamente o que lhe foi ordenado - transmitir a mensagem e suportar pacientemente o escárnio, perdoá-los e se afastar dos ignorantes.

"Se os convocardes para a Orientação, não vos ouvirão; e tu (ó Mensageiro) verás que olham para ti, embora não te vejam.  Conserva-te indulgente, encomenda o bem e foge dos insipientes." (Alcorão 7:198-199)

"Tolera, pois (ó Mensageiro), o que dizem os incrédulos..." (Alcorão 20:130)

A paciência do profeta ao transmitir a mensagem era interminável.  Nunca se cansava de falar às pessoas, muçulmanas e não muçulmanas, sobre a religião do Islã.  Sua sinceridade era óbvia e ele nunca se engajou em argumentos ou debates inúteis destinados ao desastre.  Tratava bem as pessoas, com gentileza e compaixão, fazia vista grossa para suas falhas e mau comportamento e, quando tudo falhava, se afastava.  Violência, raiva e grosseria nunca foram parte do seu método, nem eram parte do seu caráter.  Mostrava paciência em face de adversidade e gentileza diante de tratamento ríspido.



Notas de rodapé:

[1] Saheeh Ibn Hibban.  Para mais informação veja (http://islamicencyclopedia.org/public/index/topicDetail/id/390#Doctrines-of-Ibn-Hibban

[2] Saheeh Al-Bukhari, Saheeh Muslim

 

http://www.islamreligion.com/pt/articles/10753/paciencia-do-profeta-ao-transmitir-mensagem-parte-2-de-2/

Hierarquia do Artigo:
Artigos O Profeta Muhammad A paciência do profeta ao transmitir a mensagem (parte 2 de 2)


Navegação de Artigos:

<< Artigo Anterior
Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Meu Amor por Jesus
Nasci católico e como tal fui educado na crença de que o catolicismo era a única religião verdadeira. saiba mais
Ouça o Alcorão
Já está disponível em nosso site o "Nobre Alcorão e seus Significados em Português" saiba mais
Leia o Alcorão
Agora além de poder ouvir a bela recitação do Alcorão, você também pode ler o "Nobre Alcorão" saiba mais
Assista como fazer Oração
Saiba como praticar a oração, desde a ablução, até a recitação do alcorão em árabe. saiba mais
Últimos Vídeos
Divulga Islam
Somos um grupo de muçulmanos brasileiros que trabalha com a divulgação do islam na internet saiba mais

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br Site Brasileiros Muçulmanos © 2009-2017

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2017 by Nick Jones.
Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3

Os materiais postados neste site não refletem necessariamente as visões do Grupo Divulga Islam, o qual não reivindica responsabilidade sobre os artigos contidos neste site, sendo os mesmos de responsabilidade dos seus escritores.

É necessário utilizar o Firefox para este site
voltar ao topo